top of page
Buscar
  • Foto do escritorLuciana Garcia

FAKE NEWS E ROUBO DE DADOS

Atualizado: 23 de jun. de 2021





Volta e meia volta a circular o compartilhamento de uma mensagem dizendo que

a empresa X está fazendo aniversário com a promessa de um incrível sorteio de prêmios. Geralmente é uma empresa automotiva, que vai sortear um ou mais de seus veículos mais conhecidos, para quem clicar no link e preencher um cadastro para participar dessa incrível promoção.


Você recebe essa mensagem com muito entusiasmo, porque imediatamente acende no seu cérebro a imagem daquele carro fabuloso na sua garagem. Clica para preencher os dados e corre compartilhar com todos os seus parentes, amigos e grupos do WhatsApp. Sem se dar conta, você cai como um patinho num dos truques mais antigos para o roubo de dados. Movidos por gatilhos como ganância, urgência e escassez, menosprezamos questionamentos básicos que devem ser feitos a todo tempo quando recebemos oportunidades “imperdíveis” em nossas redes sociais.


É curioso pensar nisso dessa forma, mas talvez nesse momento o que nos falte é empatia. Sim, empatia! Focamos a nossa atenção no pensamento unilateral do “o que eu posso ganhar” e esquecemos de pensar no que a empresa ganhará com tal promoção.

Sabidamente, empresas que fazem promoção de sorteios de uma forma geral, onde você precisa enviar os seus dados para participar, estão interessadas justamente nos SEUS dados. Dados são hoje a grande mina de ouro do mundo digital. Porém, não é qualquer dado que interessa a qualquer empresa. Para deixar isso mais claro, vou usar aqui um exemplo que recebi hoje mesmo no aplicativo de mensagens:



Muito bem. Eu olho para essa chamada super atrativa e imediatamente clico no link para preencher os dados e participar dessa barbada. Afinal de contas, eu posso ter um Corolla na minha garagem amanhã, sem gastar um tostão por isso! Envolvida nessa ideia sedutora, eu esqueço de me colocar do outro lado da ponta, e não me pergunto: “o que a Toyota ganha com isso”?


Entusiastas mais desavisados das Fake News dirão que é propaganda, que é uma divulgação da marca... só que não. Quando uma empresa faz uma ação para coleta de dados, o interesse dela é a obtenção do que chamamos de “lista quente”, ou seja, dados de consumidores qualificados, gente que tem potencial para ser meu cliente. Mas por quê? Todo disparo de publicidade, seja ele via mídias tradicionais como rádio, TV, outdoor, ou as novas mídias digitais, como sites, e-mail, redes sociais e apps de mensagens, tem um custo. A métrica mais utilizada para esse tipo de anúncio é chamada de CPM, ou custo por milhão. A sigla compreende quanto dinheiro o anunciante irá gastar para atingir ou converter um milhão pessoas em clientes.


Quando eu (empresa) faço o disparo de um conteúdo viral numa rede (um conteúdo que a própria rede se encaminha de distribuir sem gerar custo para a empresa) posso não precisar investir, mas quando eu fizer alguma ação concreta posterior para esse público, vou gastar dinheiro com certeza. Espero que você tenha entendido que, de uma forma ou de outra, a empresa vai gastar dinheiro.


Muito bem. Imagine que realmente a Toyota tenha feito a ação acima. Qual será o tamanho desse banco de dados? Quantas pessoas nessa lista são clientes em potencial? Você certamente encaminhou a mensagem para a sua lista toda, não somente para quem tem interesse e/ou poder aquisitivo para amanhã tirar dinheiro do bolso e comprar um Toyota. Melhor ainda: você certamente enviou essa mensagem para centenas de pessoas que jamais chegarão perto de ter um Corolla. Essas pessoas não interessam à essa montadora, preciso te dar essa notícia. A empresa não quer investir em publicidade pelo simples fato de aparecer. Ela quer ter um retorno financeiro de cada centavo investido nessa propaganda.


Quando eu compartilho uma mensagem para a minha rede, do ponto de vista da empresa, eu estou dando um tiro no escuro. Na minha lista eu tenho sim gente que pode ser ou é um cliente Toyota, mas tenho também adolescentes, jovens estudantes e profissionais diversos sem poder aquisitivo para tal empreitada.

Antes que você venha me dizer que, “ah, mas você não sabe o dia de amanhã, essa pessoa pode vir a se tornar um cliente”, eu vou te contar uma coisa importante a respeito dos dados: eles são voláteis. Eu mudo meu e-mail, meu telefone, meu endereço. Os dados que você capturou hoje, daqui a dois anos já não tem mais valor. O “data” precisar ser atual. Ninguém compra dados para usar daqui a 5 anos. Se ainda ficou alguma dúvida pra você de que a Toyota não está se beneficiando com esse spam, por favor deixe o seu comentário ao final deste artigo.


Tá, mas onde você quer chegar com isso?


Agora chegamos na parte mais triste e interessante deste caso. Vou mostrar pra você alguns detalhes dessa “promoção” aos quais você não presta atenção e já corre preencher seus dados:


Essa fake é muito fácil de ser identificada, se você for alguém informado e que não se deixa levar pelo imediatismo.


O simples fato de você clicar nesse link, já representa uma ameaça potencial à sua máquina.


Na correria do dia-a-dia, nos esquecemos de que o celular é um computador de bolso, e nele guardamos senhas de banco, de e-mail, prints de documentos e etc.


Vamos trabalhar com o benefício da dúvida e pensar que você clicou no link

e nada aconteceu, nenhum trojan* foi baixado para os seus arquivos. Quando você preenche os seus dados na suposta promoção, você está enviando seus dados não para a Toyota, mas para um hacker que terá informações valiosas a seu respeito.


E digamos que esse “profissional” não consiga invadir diretamente a sua conta. Vamos chamá-lo de um mero “batedor de carteira virtual”. De onde você acha que golpes telefônicos onde ladrões se fazem passar pelo seu gerente do banco, ou da sua empresa de internet tiram informações suas para aplicar golpes? Pois é.


Gostaria de chamar a sua atenção para pontos identificáveis da fraudulenta campanha:


1) Na primeira imagem que eu mostrei, note que a URL (o endereço) do link é confuso, e em nenhum momento aparece a palavra "Toyota". O site da Toyota no Brasil é www.toyota.com.br e qualquer promoção da empresa terá este endereço como destino;


2) Perceba na segunda imagem, que no espaço do endereço, antes dele aparece o termo "Não seguro". Muitas vezes, quando você entra nesses sites a partir do seu desktop ou notebook, pode aparecer também o desenho de um cadeado aberto, ou de um triângulo vermelho (depende do seu navegador). Essas são indicações do próprio navegador de que a página não é segura;


3) O veículo mostrado na foto, o modelo específico da “promoção” não é disponibilizado no Brasil;


4) A linguagem utilizada é muito formal e pouco publicitária. Ninguém usa “obter” em uma campanha. Empresas desse porte contratam grandes agências que tem equipes de redatores para escolher a dedo cada palavra utilizada em seu material promocional, por este mesmo motivo, já pulamos para o terceiro ponto;


5) A palavra Corolla está grafada com caixa baixa, ou “c” minúsculo. Como sabemos, Corolla é um nome próprio. Trata-se do nome do veículo. Você acredita que a Toyota deixaria passar uma coisa dessas?;


6) Veja o comentário abaixo da enquete: é um rapaz, cuja figura foi claramente recortada e colocada num fundo liso, chamado “Annie Clérisseau”. Quem no Brasil tem esse nome?;


7) E ainda sobre o comentário do pretenso rapaz: será que alguém com um nome assim tão pomposo faria um comentário tão estúpido numa promoção? “Recebi hoje, obrigado”. Não faz sentido.


O comentário do rapaz claramente está lá para dar credibilidade ao material e fomentar

o sentimento de pertencimento e validação. É como passar em frente a dois restaurantes, um cheio e um vazio. Você certamente vai escolher o cheio, pois se mais pessoas escolheram aquele, é porque deve ser melhor que o primeiro. Fique atento às coisas nas quais você clica e compartilha no seu celular e na internet de uma forma geral. Nada é tão incrível e exclusivo que não valha uma olhada com atenção e uma pesquisada antes. Não existe almoço grátis!!!


Gostou desse artigo?


Quer saber mais sobre o assunto? Então cadastre seu e-mail e baixe agora o seu e-book Comunicação & Etiqueta para WhatsApp e Redes Sociais. Pode pesquisar a gente antes, não tem pegadinha (nem sorteio de carro, infelizmente!). Muito eventualmente enviaremos para o seu e-mail alguma notícia nossa, e você pode se descadastrar quando quiser. Não comercializamos seus dados.



* Trojan, ou Cavalo de Troia é um malware cria uma "porta" de entrada em seu computador, possibilitando o acesso de pessoas mal intencionadas aos seus dados privados.

Comments


bottom of page